Os cupins são insetos conhecidos por nós pelo hábito de se alimentarem preferencialmente de celulose, atacando por esta razão papéis, livros, estruturas de madeira, ou qualquer outro material derivado deste composto (polímero).
Os cupins existem na Terra há muito mais tempo que o próprio homem, sendo que restos fossilizados deste insetos já foram encontrados em formações geológicas datadas de 55 milhões de anos. Durante todo este período, os cupins têm desempenhado um papel fundamental no meio ambiente, na decomposição de matéria orgânico ao solo, contribuindo para a incorporação de nutrientes e fertilidade do solo.

No entanto, desde que o homem começou a construir habitações ou estruturas de madeira, é que se conhecem os danos causados por este inseto. A própria denominação "cupim" é mais antiga que o Brasil, tendo sua origem na língua Tupi e significando "montículo", em referência ao formato do ninho de uma determinada espécie de cupim encontrado no interior do Brasil.
De acordo com o Dicionário Aurélio, podemos encontrar os seguintes sinônimos da palavra cupim, em Português: térmita, térmite e itapicuim, este último utilizado na região Amazônica do Brasil. A denominação térmita, por sua vez, é originada do latim "Termes" e era utilizada pelos romanos ao se referirem ao "verme da madeira", seu significado em latim, dada a aparência que os mesmos apresentam quando infestando uma estrutura de madeira.
É interessante frisar, porém, que existem muitas espécies de cupins e sua fonte de alimento pode variar bastante - existem cupins que comem raízes de plantas ou fungos, por exemplo. Desta maneira, é importante saber identificar a espécie a ser controlada, diferenciando cupins que não causam prejuízos ao homem (úteis na manutenção da cadeia alimentar na natureza) dos cupins que causam danos ao patrimônio privado, histórico ou cultural do homem.
O texto que apresentamos aqui procura ajudá-lo na identificação dos cupins e dos danos que causam, contribuindo para que encontre uma solução para os eventuais casos de ataque. Conforme comentamos, existem muitas espécies de cupins que podem ser agrupados de diferentes maneiras. Como o próprio nome indica, os cupins de madeira seca são os cupins que fazem o ninho na madeira seca, ou seja, a colônia encontra-se na madeira seca que, ao mesmo tempo, serve de abrigo e de alimento.

Instruções para descupinizaçao
- Limpeza com pano úmido (quase seco), ou passar lustra-moveis , após 3 horas;
- Afastar crianças, animais domésticos e pessoas alérgicas por um período mínimo de 24 horas (em caso de serviço na totalidade da residência ou comercial); em uma área menor, somente este local devera ficar isolado por 24 horas;
- Pessoas sem os problemas acima mencionados poderão dormir no local, embora possa existir um pouco de cheiro. O incomodo varia de pessoa para pessoa;
- Esvaziar totalmente os armários que serão tratados;
- Locais com pintura ou sinteco recente não poderão ser executados serviços de descupinizaçao na totalidade da residência/comercial, somente após 30 dias;
- Cobrir ou retirar objetos de acrílico;
- Manter portas fechadas por 1dia, para evitar inchaços na madeira;
- Em caso de grande serviços, retirar plantas ornamentais do ambiente interno;
- Retirar tapetes quando a aplicação for no piso;
- Retirar molduras dos espelhos e quadros;
- Sofás: cliente terá responsabilidade de retirar e colocar a forração;
- Sauna: devera ficar arejada com a porta aberta; utilizar somente após 10 dias de tratamento;
- Piano:possibilidade de desafinar;
- Pisos ou armários encerados: avisar que existe a possibilidade de machar ou escorrer a cera. As manchas sairão após nova aplicação de cera;
- Deixar o local arejado por período de 6 horas;
- No período de 6 horas utilizar o ar-condicionado do ambiente tratado somente na ventililaçao;
- Limpeza com sabão ou algum produto químico, após 72 horas;
- Limpeza Com pano úmido (quase seco) nos armários tratados após no mínimo 3 horas
- Em caso de grandes serviços, retirar plantas ornamentais do ambiente interno;
- Quando for serviço em jardineiras ou arvores: não regar por 2 dias.


Causas:
Madeirame
Solução: Use na construção de sua casa madeiras inatacáveis por cupins, tais como:peroba-rosa,jacarandá, pau-ferro, graúna, Gonçalo Alves, sucupira, orelha de onça, roxinho e massaranduba.

. Causas:

Restos de madeira
Solução:em construção recentes deve-se ter cuidado de retirar todos os restos de madeira.e muito encontrar-se pedaços de madeira de qualidade inferior, embaixo do telhado, que são facilmente atacadas por cupins, os quais daí partem para infestar toda a casa ou apartamento.

Causas:

Movéis
Solução:E comum utilizar-se madeira compensada ou não para fundos de guarda-roupas, armários, gavetas, divisórias de estantes, estrados de camas e braços de poltronas estofadas que são facilmente atacadas por cupins.Substitua imediatamente as peças infestadas.

Causas:

Objetos de Madeira
Solução:As caixas de relógio, os oratórios, as imagens, os colares, entre outros objetos de madeira, podem ser tratados com injeção de querozene através dos pequenos orifícios feitos pelo inseto.

Causas:

Invasão das residências pelos cupins
Solução:No período agosto-outubro ocorre o enxameamento dos cupins que, em grande quantidade, invadem as casas ao anoitecer. Nesses meses, tele a janelas, com telas de madeira de 1,6 milimetros, para impedir a entrada dos cupins alados. Proceda também a uma limpeza diária da casa para eliminar os insetos que estejam pretendendo se alojar entre livros, sob tapetes, em armários, rodapés, etc.
Inspecione, semestralmente, as esquadrias, as portas, janelas, tacos, os moveis e todos os objetos de madeira de sal casa para descobrir pequenos furos ou a presença de um pó semelhante a serragem que são indicativos da infestação por cupins.Substitua as peças atacadas.


O serviço contra cupins de madeira seca e cupins subterrâneos, a ser realizado em madeiras e estruturas, deverá ser feito com aplicações de injeções e pulverizações de inseticida líquido. Pedimos o afastamento de crianças, animais e pessoas idosas por período de 6 horas e, pessoas muito sensíveis ou asmáticas, por 24 horas.