As moscas pertencem à Ordem Diptera e possuem apenas um par de asas membranosas correspondente às asas anteriores, daí o nome da ordem (di = duas, ptera = asas). O par posterior transformou-se em duas estruturas, de tamanho reduzido, chamadas de halteres ou balancins, os quais dão equilíbrio ao inseto durante o vôo. Os dípteros pertencem a um dos quatro maiores grupos de organismos vivos existindo mais moscas do que vertebrados. Não ocorrem somente nas regiões ártica e antártica. Os dípteros apresentam metamorfose completa, isto é, apresentam as fases de ovo, larva, pupa e adulto.

Conhece-se aproximadamente 120.000 espécies de dípteros e estima-se que existam mais 1 milhão de espécies viventes. Estas espécies estão divididas em 188 famílias e aproximadamente 10.000 gêneros, sendo que por volta de 3.125 espécies são conhecidos apenas por registros fósseis. O mais antigo destes data de 225 milhões de anos atrás.
Podemos reconhecer as moscas pela cabeça, nitidamente distinta e móvel, com dois grandes olhos facetados, isto é, como se fosse dividido em várias partes (facetas). Algumas moscas possuem o aparelho bucal com capacidade para absorver líquidos enquanto que em outras o aparelho bucal é do tipo picador.
Moscas são muito comuns em áreas rurais e urbanas. No ambiente urbano algumas espécies adaptaram-se bem às condições criadas pelo homem, mantendo uma dependência chamada de sinantropia. Algumas espécies são altamente sinantrópicas, isto é, possuem grande adaptação ao ambiente urbanizado, enquanto outras são pouco sinantrópicas, ou seja, não apresentam tolerância ao processo de urbanização. Dentre as altamente sinantrópicas estão a mosca doméstica ( Musca domestica ), as moscas-dos-filtros ( Telmatoscopus albipunctatus, Psychoda alternata, Psychoda cinerea, Psychoda satchelli ), as mosquinhas ( Drosophila spp.) e as moscas Chrysomya .
As mosquinhas ou mosca da banana ( Drosophila spp.), no ambiente urbano, são atraídas por frutas maduras ou lixo presentes no interior de residências, feiras e mercados. As moscas Chrysomya foram recentemente introduzidas no Brasil. São facilmente observadas em feiras livres sobre peixes, frangos, etc. Podem transmitir parasitas intestinais, poliomielite e doenças entéricas.


Causas:
Lixo,restos alimentares

Solução: remover diariamente, todo lixo,principalmente,os restos alimentares,recolhendo-os em sacos plásticos ou embrulhados em jornal. Depois de removido o lixo, lavar bem o vasilhante (balde,tambor,ou barril) que lhe serviu de deposito.

Causas:
Acondicionamento de alimentos.

Solução:doces,Paes,biscoitos devem ser guardados em vasilhas bem fechadas ou em geladeira.lavar, semanalmente, a lixeira. Mante-la seca e bem fechada.

Causas:
Caixas de gordura e esgoto

Solução: limpar,quinzenalmente,as caixas de gordura e de esgoto.Mante-las sempre bem fechada.
Usar luvas e botas de borracha, na execução desta tarefa.

Causas:
Adubos Orgânicos

Solução:so utilizar em jardins adubos orgânicos curtidos, principalmente de fezes de bois e cavalos.

Causas:
Pocilgas,aviários e estábulos

Solução:destruir,pois, em áreas urbanas e residenciais e proibida a existência de pocilgas, aviários e estábulos.


Executamos serviços contra moscas em comércios voltados para o ramo alimentício, utilizando armadilhas luminosas adesivas que atraem e aderem nos insetos. Além disso, com a finalidade de evitar o uso de inseticidas líquidos nos locais de manipulação de alimento, buscamos e eliminamos os pontos de focos.